TE AMO COMO SE AMAM CERTAS COISAS OBSCURAS ENTRE A SOMBRA E A ALMA

Essa declaração é de Pablo Neruda. O poeta do amor. O amor é uma espécie de milagre. Exatamente porque se revela assim: obscuro, entre sombras, na penumbra daquilo que temos de bem sagrado dentro de nós e quando não sabemos nomear o chamamos de desejo. O amor é o milagre do desejo. É assim que vejo o amor refletido nos olhos de todos os enamorados e apaixonados que tenho o privilégio de abençoar em lindas e emocionantes cerimônias de casamento. A luz brilhando nos olhos dizendo um ao outro a luz dos olhos meus precisa se casar. E então guardar para o depois esse milagre. E a possibilidade dessa revelação que virá a cada dia, não com a claridade de um dia ensolarado, mas com a penumbra do entardecer, nas sombras que entram pela janela e na escuridão da sala, aonde sobre a mesa brilha a chama de uma vela a nos dizer sempre: eu o amor, estou aqui esperando vocês.

Rev. Luiz Longuini Neto